Quem é a pessoa por detrás deste blog?
Nunca fui muito boa a descrever quem sou. Começo pelo mais simples: Marli é o meu nome. Um nome invulgar, para uma pessoa um tanto ou quanto diferente. Tenho 19 anos e sou de Nelas, uma pequena vila na cidade de Viseu. 
Atualmente estudo Engenharia Biomédica em Coimbra, um curso que demorei imenso tempo a escolher por ser uma apaixonada pela ciências no geral. Mas, apesar de esta ser a área que estudo, sonho o dia em que possa fazer a minha vida em cima de um palco, a viver a vida de 100 pessoas diferentes numa pessoa só. É isso mesmo, sou uma amante incondicional das artes e o teatro é a minha grande paixão.
A palavra que melhor me descreve é exagerada. O dramatismo é já uma constante no meu dia-a-dia, e amplifico todas as minhas emoções até aos extremos. Analiso tudo à exaustão, procurando sempre um significado no mais pequeno gesto e esperança na mais pequena palavra. Sou uma pessoa extremamente positiva, e não consigo perceber quem vê o mundo a preto e branco quando ele tem cores tão bonitas - e fortes. Sou uma pessoa que é amiga de quem me quer bem e tenho uma necessidade constante de ver os outros felizes.


Acerca do My Own Anatomy
A história por trás do menino dos meus olhos não é mais interessante. Havia uma rapariga que tinha imensa pinta e da qual eu queria ser igual. Claro está, ela tinha um blog e portanto, depois de longos meses de ponderação, num dia aborrecido de Dezembro de 2012 surgiu o My Own Anatomy, com um formato bem diferente daquele que vocês hoje vêem.
Verdade seja dita, dediquei muito daquilo que sou àquilo que estão a ver. Este canto é uma espécie de reflexo da minha identidade, dos meus desejos e dos meus gostos. Este canto já me acompanha há alguns anos e viu-me crescer, fisicamente mas maioritariamente psicologicamente; assistiu a vitórias e dissabores, a amores e desamores e por isso há muito de mim por aqui. Tornou-se de conhecimento público apenas em 2016, quando decidi partilhá-lo com a minha família e amigos e desde aí, onde eu vou, ele vai, sem vergonhas ou preconceitos. É, ao fim ao cabo, a minha anatomia.


1 comentário: