SÉRIES // BIG LITTLE LIES

Existem séries que começamos a ver é impossível evitá-las: percorrem as nossas redes sociais como parasitas e obrigam-nos a matar o bichinho da curiosidade. Depois existem séries das quais nunca ouvimos falar mas com as quais nos deparamos ao fazer zapping pelos vários canais de TV num momento de aborrecimento e nos captam o olhar. Este foi o caso de Big Little Lies, que me chamou à atenção pelo elenco de luxo que apresenta - as grandes Reese Witherspoon e Nicole Kidman.

Esta série conta a história de 3 mães, aparentemente com uma vida perfeita; fisicamente e psicologicamente bastante diferentes, têm apenas um ponto em comum - os seus filhos são todos alunos na mesma escola, no 1º ano. Com o desenrolar da trama, apercebemo-nos dos problemas sociais que têm que enfrentar diariamente até ao ponto de esgotamento, com o qual o primeiro episódio inicia - o homicídio de uma das personagens principais. 


Fazendo jus à classificação de drama e mistério, esta série desde o primeiro episódio que traz ancoradas a si uma grande quantidade de perguntas que precisam de resposta. Essa resposta não chega de forma imediata - vai-se percebendo no desenrolar da trama aquilo que cada personagem representa, as suas dificuldades e aquilo que contribuíram para aquilo que aconteceu no final. A série divide-se em dois momentos temporais distintos: o presente, contado por vários membros da cidade que não fazem parte das personagens principais e o passado, desenrolado em torno das nossas personagens centrais. Não, tudo isto é bem separado e não se torna nada confuso de acompanhar os acontecimentos da temporada.

Big Little Lies aborda temas como a violência doméstica, a traição, os abusos sexuais, o bullying e traz algo sem dúvida importante para cima da mesa: a centralização na vida de uma mulher enquanto mãe, esposa e trabalhadora. Tal como já disse, é uma série bastante cativante, tanto pelo elenco de excelência que, como sempre nos habituou, mostra mais um soberbo desempenho como pela trama em concreto, pela forma como a ação se desenrola para o homicídio, o culminar da trama. A banda sonora é muito boa, encaixa na perfeição na onda misteriosa que a série pretende transmitir.

Não, não é a minha série favorita de todos os tempos. O final da temporada foi excelente, sim, e bastante surpreendente - nada melhor do que um bom plot twist na história. Mas o desenrolar da ação, apesar de cativante, acaba por se tornar ligeiramente repetitivo e um pouco maçador, uma vez que os episódios duram 1 hora inteira. Ainda assim, todos os outros factores jogam a favor desta série para quem gosta do género misterioso.

"I know I have this madness, these fucking demons in here, but I'm fighting them. I'm fighting them!"


Já alguma vez tinham ouvido falar desta série? Ficaram curiosos?

AL LEAST OUT LOUD I WON'T SAY I'M IN LOVE

Já vos tinha dito aqui que ando obcecada com esta tendência das calças largas, mais descontraídas e que ajudam a fugir às mais do que usadas - pelo menos por mim - calças de ganga. Numa ida recente às compras deparei-me com estas meninas na Bershka e podia jurar a pés juntos que não me iriam favorecer por causa do corte. Surpresa das surpresas, acabaram por me ficar bem - modéstia à parte - e são super leves para as temperaturas que se têm vindo a sentir. É por isso que digo: se gostam de alguma coisa, experimentem sempre, independentemente de acharem que vos vai ficar bem ou mal. Podem apanhar uma bela surpresa, como eu apanhei.

Conjugada com estas calças com riscas azuis e brancas, achei que o par perfeito para este casamento seria o camel e nada melhor do que a mala que recebi da RoseWholeSale para o ar descontraído que pretendia. Esta mala veio para preencher um desejo que eu tinha há algum tempo por uma mala que tivesse franjas por toda; bastante grande e com um bolso interior, o único defeito que tenho a apontar é o facto do material, como é de camurça falsa, se esfola facilmente e tornar-se-há feia ao longo do tempo com o uso.

Mala c/o RosewholeSale // Camisa da Stradivarius // Calças da Bershka // Sandálias da Pull and Bear // Brincos da Parfois

Já alguma vez pensaram que algo vos ficaria mal e acabou por vos surpreender? Gostaram do conjunto?

SHARING // POESIA VETORIZADA

Quantos de vocês passam os seus dias à procura de novas inspirações, novas páginas para seguir, material fresco e original? Sou capaz de passar horas pelo pinterest a deixar-me inspirar por tudo o que de bom lá se encontra e portanto, quando encontro algo que valha realmente a pena, procuro saber mais sobre de onde surgiu essa inspiração e quem são os seus autores. Recentemente cruzei-me, então, com uma imagem que não me deixou indiferente; dizia que o amor da sua vida seja o amor próprio com um pequeno desenho muito amoroso e eu senti-me tão feliz que tive que procurar mais desenhos semelhantes. Foi aí que descobri a Poesia Vetorizada, a página de que vos falo hoje.

Cheia de frases inspiradoras ilustrados com desenhos simples mas cativantes, a Poesia Vetorizada é uma página de reflexão e inspiração, onde podemos encontrar de tudo um pouco: coisas que nos fazem sorrir, sentirmo-nos nostálgicos ou até tristes. O melhor de tudo: é super original! Os bonecos são adoráveis, sempre com lágrimas - de tristeza ou de felicidade - a sair dos seus olhos fechados e o coração é o principal elemento na maior parte dos rabiscos. As frases? Curtas mas cheias de significado. Pequenas mensagens de alerta ou de algumas experiências pelas quais todos poderemos passar. 


Podem encontrar mais dos seus desenhos nas suas redes sociais, no Tumblr, no Instagram e no Facebook.

O autor do Poesia Vetorizada, Lucas Misonaga, faz também alguns trabalhos para venda como artprints para embelezarmos as nossas paredes com os seus bonitos desenhos e nos inspirarmos fora da internet. Caso estejam interessados em ver alguns dos preços e que tipo de desenhos ele tem, podem consultar a loja que vende os seus artigos aqui.



Já conheciam esta página? Que páginas vos inspiram?